17 fevereiro 2009

“Parar o Vento com as Mãos” – Quando em Caso Inédito da nossa Incipiente Democracia, a Formação de um Partido Político gera Contestação!!!

O país ainda não se refez do choque tremendo que foi o recente afastamento dos dois melhores Autarcas, pelas suas respectivas formações políticas! Falo-vos dos conhecidos casos de Eneias Comiche em Maputo e Deviz Simango, na Beira!! Se essas decisões catastróficas “esfaquearam” aquilo que é nosso entendimento de uma “boa governação”, nós a sociedade civil somos os únicos capazes de mudar o curso dessa situação, especialmente quando essas “elites partidárias” insistem (mentem) que estejam a fazer a nossa vontade!!!

Os “espinhos” que vão na mente e na alma deste povo se quebraram e um movimento expontâneo de cidadania se levantou e mostrou que mudar o “curso do rio” é algo possível e que só depende de nós!! Nessa altura, os “acomodados” e a sua “academia” se debruçaram em teorias de todo o tipo, recorreram a “evidências históricas” da mais variada gama e esgrimiram todo o tipo de argumentos para “provar” que nunca seria possível vencer, fora de uma “plataforma partidária”! O termo correcto usado na altura foi “chupeta partidária” porque os “detractores” dessa iniciativa de cidadania e democracia, assentavam a sua abordagem num contexto que não fugia muito de “caricatura”!!!

Num “movimento de génio” que já estava a tardar e, porque já não é possivel coabitar com a “Oposição Retrógrada”, decidiu-se avançar com a criação de um “Novo Partido Político” alicerçado nas forças vivas da sociedade e que se assente em princípios de democracia, comprometido com a instalação de um Estado verdadeiramente de Direito e que respeite as nossas liberdades individuais e colectivas!!

E não é justo e todos sabemos (não tarda que quem não saiba, fique a saber) que o que está em jogo não é o prospecto da extrapolação do “Movimento da Beira” à escala nacional!! Essa ânsia de mudança existe e já está enraizada neste povo, faz tempo!! A única coisa que sempre faltou foram “alternativas políticas credíveis”!!

E os “sinos de emergência” começaram a tocar de forma não prevista e bastante ensurdecedora!! Num movimento sem precedentes e numa nação com mais de 500 partidos políticos (o exagero aqui é propositado), a criação de um novo partido político está a ver contestação, sob as mais variadas formas!! Não há memória (e aqui peço que os leitores me elucidem) que a formação de um PARTONAMO, PAREDE, PARENA, PADELIMO, PANAOC, PANADE, PADRES, PUMILD, etc, tenha merecido a menção ou comentário de quem quer que seja!! Então, porquê agora?? (Não haverá gato, aqui!?!!)

Se as verdades começam por ser “caricaturadas”, a fase seguinte é serem “fortemente combatidas”!! É isto que estamos a observar, neste momento!! A minha intuição mostra que os anteriores “detractores” de Daviz Simango, os tais que diziam que ele nunca iria vencer e que recentemente festejaram com o “virtual” desaparecimento da Oposição, cientes que teriam um período à frente de relativo “descanso político”, se vêm confrontados com um movimento que pouco podem controlar ou prever, mas que percebem que “num click” pode mudar a realidade política desta nação a sério!!

Os “detractores” estão com medo, muito medo!! E posso garantir que têem razões quanto baste para que se sintam assim!! A realidade é mesmo essa!!

“You’re dealing with an unstoppable train!! Não é possível travar o vento com as mãos"!!


Um dos argumentos ora lançado pelos “detractores” foi que o novo partido não é boa ideia porque se estaria a promover a “eliminação do político em detrimento do tecnocrata”!! Mas é exactamente isso que muitos sectores da economia desta nação precisam!! Trevor Manuel referiu há dias que a competência deve ser valorizada à fidelidade e confiança políticas!! Se não conseguimos produzir tomate e repolho para o nosso auto-sustento, melhor indicar alguém que entenda de “agricultura comercial” e “desenvolvimento agrário” em vez de um “sindicalista”!! Se não existe plano ou entendimento algum de infra-estruturas públicas e desenvolvimento de política habitacional, experimente indicar alguém que entenda do sector para ver se não fará melhor figura que um “agrónomo” ou uma “psicóloga”!! Vamos deixar os políticos “aquecerem o banco” um bocado e beberem água, enquanto descansam, para vermos como irá mudar o curso do jogo!! Já os tivemos quanto basta e continuamos a andar aos círculos! É altura de mostrar serviço palpável e não folclórico! É altura de produzir! É altura de construir!! É altura de saber fazer!!

Outro argumento “fantástico” e discutido ferverosamente no “Reflectindo” é que se “deve ter calma”!! Eu digo que NÃO!! O que se deve ter é PRESSA!! Este partido já deveria estar legalmente constituido “ONTEM”!! Aqui não há tempo a perder, porque este povo já está cansado de esperar!! Se alguém tem dúvidas do que estou a referir, então nada perde em esperar!!! Como bem referem, o tempo até lá é mesmo curto, pois não?!?

Concorrer nas eleições deste ano será uma “WIN-WIN situation”!! Só se tem a ganhar porque o partido vai lançar a sua chama pelo país inteiro!! Não em jeito de “aquecimento”, mas para vencer e vencer a valer!! Só se tem a ganhar, porque a “máquina de desastabilização” não sabe ainda por que pontas se agarrar!! Só se tem a ganhar porque, com a “fertilidade de terreno político existente”, o povo está a espera e essas sementes que forem lançadas não terão outra hipótese senão germinarem e darem frutos suculentos e saborosos!!

E, não se vence com “muito dinheiro”!! Vence-se com um movimento assentado em “grassroots”, em campanhas “porta-a-porta” nos vários círculos eleitorais, com envolvimento desta juventude sedenta de mudanças!! Vence-se com um movimento que seja representativo dos vários extractos da sociedade, das várias regiões do país e que promova a excelência e a competência!! Há muita gente alienada neste país e na diáspora, que não vê a hora em contribuir com o seu zelo e saber para o engrandecimento desta pátria!! Os combatentes e guerrilheiros já fizeram a sua parte por esta nação!! Este é o momento de passar a “tocha” a um novo tipo de liderança, que não governe este país com um sentido de “propriedade” ou pensando que nós, o povo, lhes devemos algo!! Novo tipo de liderança comprometida com os desafios do progresso e do desenvolvimento deste Moçambique, nossa Pérola do Indico!! É momento de intelecto, empenho, pouco blá blá e muita acção!!

Vence-se com um movimento que, imbuído pelo apoio e suporte das forças vivas da sociedade, se predisponha a agir como entidade por ela “contratada” para gerir e administratar as nossas causas comuns, “our common enterprise” (e não o contrário)!!

Como tenho referido em várias das minhas postagens, os governos africanos padecem de um problema grave que é a “falta de legitimidade" conferida pelos seus povos!! Esses dirigentes sabem-no perfeitamente e que muitas vezes vencem, não porque os seus povos os escolhem, mas por razões que se prendem com a partidarização, das unhas até aos dentes, de todas as “Instituições Democráticas”!! Nesse cenário, fica difícil trabalhar para aquele que sabemos que não vota “em nós”!! Esses viram os “nossos inimigos”, passando a actividade principal a ser a concentração de riqueza ilícita para nós, nossos vassalos e demais parasitas associados!! Chegamos ainda ao cúmulo em que, mesmo aqueles que continuam a ser a “nossa massa eleitoral fidedigna”, com excepção de uma minoria restricta, não vejam os resultados da governação do dia, na realidade prática das suas vidas (Gaza que o diga)!!

Então, pra quê insistir com a mesma tecla??? Tem que haver uma razão!! Será que os especuladores poderão chamar isso de tribalismo?? (Se notarmos que grande parte, senão a totalidade dos “detractores” do novo partido sejam da região Sul, até que poderiam ter um “caso forte” a apresentar).

Que venha o novo partido!! Que venha uma lufada de ar fresco!!
“Que venhaaaa ahha, Que venhaaa”!!

P.S – Espero que a sigla desse partido não esteja cheia de PA’s, DE’s, MO’s e Companhia Limitada!! Que se adopte uma sigla “simples” como a das novas faces partidárias da SADC, casos do ANC, MDC, etc!! Que o novo partido se chame “MDM” (já que tudo se move ao ritmo da “integração regional” mesmo….)!!

16 comentários:

Reflectindo disse...

Caro Jonathan, esta é mesmo estrategicamente a hora H. Estategicamente porque de facto a máquina desestabilizadora não tem ainda combustível suficiente. Tenho evitado dizer isto, mas hoje já alguns desestabilizadores estão a lançar ataques sobretudo a Daviz. O país não deve regressar ao regime monopartidário. E eu concordo que agora é pressa e como o Nelson disse, talvez evitarmos distracções.

X!mb!t@nE disse...

Pessoalmente sou a favor da criaçao desse novo partido que espero que nao seja mais uma opçao, mas a opçao.

Nyabetse, Tatinguwaku disse...

Jonathan,

Eu nunca estive tão pronta para ser membro de um partido politico como agora.

Desde a distancia, aguardo/amos ansiosa/os pela legalizacão, para nos podermos afiliar.

"you can lie to somebody for sometime, you can even lie to everybody for a while. But you cannot lie to everybody for ever."

Jonathan McCharty disse...

Reflectindo!
Evitar distraccoes, e' a palavra de ordem! Tem se dito que o inferno anda cheio por causa de "boas intencoes"!

Jonathan McCharty disse...

Amiga Ximbi! A opcao e' essa e vem mesmo para ficar! Para ver a preocupacao de alguns sectores, para constatar que o que esta' pra vir, nao sera' um partido de "faz de conta"!

Jonathan McCharty disse...

Amiga Nyabe,
A determinacao que aqui compartilhas, vai na mente e na alma de muitos "Mozies"! We need our country back!

E' como bem dizes:
"you can lie to somebody for sometime, you can even lie to everybody for a while. But you cannot lie to everybody for ever."

SerHuo disse...

Ok, aceito com tanto que os leitores deste espaco tenham dito. Mas indo ao encontro do artigo, e aproveitando a deixa: Peco que os leitores me elucidem que a formação de um PARTONAMO... etc, tenha merecido a menção ou comentário de quem quer que seja!! Então, porquê agora?? (Aqui há gato!!!), gostaria de recordar que assistimos a tamanha azafama quando se criou o PDD, tambem saido de circunstacias, que embora nao sejam as mesmas, tem muito em comum.
Assistimos sim, a propaganda euforica do Raul Domingos e companhia (lemos, vimos e ouvimos tantos a dizer sim, agora e' que e'. E onde ficamos? Vamos dizer alguem desestabilizou o PDD. Concordaria com tal ponto de vista, mas esse alguem seria o proprio PDD, ou o Domingos.
Ora, na situacao actual encontramos muitos pontos a equivaler: Raul Domingos tema sua fama (mediador da Paz, etc), e o Deviz tem a sua quota parte, bom governante - e ambiente de Paz. Aqui vai o ponto: espero que o tal futuro partido (espqro que nao seja algo como MDC, pois desde sempre tive muitas perguntas sem resposta a respeito desse movimento, tais como, de onde vem o MDC, quando e' fundado - na altura que Mugabe manda os britanicos de volta a casa - quem o funda - sera que alguem me convence a tirar da cabeca que Tsivangirai e' apenas a capa?, quem o custeia - que nao me digam que sao os associados, pois todos nos sabemos que nao, consequentemente outra pergunta seria de onde o messias do Zimbabwe tirava o dinheiro para ficar no estrangeiro vezes por mais de 2 meses - vao me dizer parceiros, quais parceiros, ou estaria ele a receber instrucoes sobre os passos seguintes a dar...). Ainda, espero que o respeitado Devis SImango (que pessoalmente o admiro pela determinacao) nao caia na sombra da Beira, pois Mocambique e' muito mais que as vinte e tal mil assinaturas que se tem publicitado.
Outra situacao que prevejo, tudo isto tem uma unica origem, RENAMO (agora Dlakama entra em cena). nao nos esquecamos que Dlakama reclama bases nao so na Beira - de Devis, mas em toda SOfala, o Domingos tambem tem suas bases ali instaladas. Ora, que se espera e' estremamente interessante, e talvez uma boa prova a nossa (i)maturidade politica.
Os bem entendidos irao agora entar para o circulo da representacao social de politica no nosso contexto: se votamos aquele que e' bonito, vem do Partido X, vem da minha aldeia (que me parece o caso explicito da nossa situacao) ou a probabilidade mais remota: sera que voptamos o programa: aqui minha resposta e' NAO.
Para fechar, nao comungo a mesma opiniao de que se esteja a criar algum tipo de desestabilizacao (ou coisa parecida) por detras da criacao do Partido seja ele se que denominacao ou orientacao. Isso me parece mais uma forma de jogo defensivo, sempre procurar cuplado pelo aparente. Bem vindo o novo Partido, e espero que nao so aumente o numero para 501, mas que marque diferenca, senao...

Jonathan McCharty disse...

Caro SerHuo,

Obrigado por partilhar os seus pontos de vista connosco! Vou responder aos pontos que levantas, mas noto que ha' aqui um serio problema de percepcao!
1) O que eu refiro nesta postagem e' que a "formacao" deste novo partido esta' a sofrer "contestacao" de varios sectores! Nao me refiro a habilidade deste novo partido vir a ser vencedor!! Esse e' um direito (de aspiracao) que nao pode ser negado a ninguem! Mesmo o PUMILD, ALIMO acreditam que podem vencer! Portanto, essa nao e' a questao em discussao aqui!
2)Ainda nao percebo porque muita gente insiste em comparar Deviz com Raul Domingos! Se as inferencias ate' aqui feitas estivessem certas, entao Deviz nunca teria ganho as eleicoes autarquicas passadas!
3)Quando nos lutamos pela nossa independencia, estavamos no nosso direito! Muitos "conservadores" (outrora "revolucionarios") acham que a nossa aspiracao por liberdades individuais e colectivas termina ai! A nossa capacidade de "pensar" tambem terminou ali! Se nao concordarmos com algo, e' porque estamos ao servico do "Exterior"! A independencia nos tornou "mentecaptos"! E' isso que explica a formacao do MDC (nao e' amigo SerHuo??)
4) Se o amigo SerHuo ler atentamente o texto ira' perceber que, em parte alguma, refiro que algum tipo de desestabilizacao esteja a decorrer!! Mesmo se houvesse essa "intencao", nao haveria (nao ha') elementos por onde se pegar!

Um abraco e apareca sempre!

SerHuo disse...

Ao amigo Jonathan McCharty, obrigado pela resposta. So para dizer gratos pela reaccao, pessoalmente grato. Vou fazer uma coisa que me recomenda: reler o seu texto, quem sabe possa perceber um pouco mais a outra parte do verso. Entretanto, forcosamente me senti na necessidade de estabelecer essa parecenca entre o Devis e o Domingos (e la existe, embora cada um com sua originalidade). Ora, acredito que a independencia veio nos trazer algo que todos gosta(ria)mos, mas em contrapartida nao nos preparampos para levarmos connosco a auto-estima do que somos, mas sim, facilmente ignoramos citar algo bem-feito pelo Pais e em primeira mao estamos prontos a difundir rumor. Ok, concordo, mas trinta e poucos anos depois ja deviamos ter comecado a (re)pensar em nos mesmos.
Pessoalmente estou a favor da criacao de qualquer partido que seja (ainda k nao seja membro de nenhum, quem sabe se encontro em um desses alguma razao.
Mais uma vez, apreciei seu comentario, e aprecio seu blog.
Abracos, oh Jonathan McCharty

Reflectindo disse...

Caro Jonathan (também SerHuo), gostei bastante da resposta que deste ao SerHuo que penso que entendeu mal ao que escreveste que: “máquina de desastabilização” não sabe ainda por que pontas se agarrar. Mas julgo também que SerHuo sabe muito bem que desastabilizacão é um jogo político, sendo que é necessário sempre se prevenir disso. Por exemplo, não vai o nosso compatriota dizer que não viu toda aquela máquina de Mbararanos e outra saída do Maputo para Beira, incluindo o envolvimento da PGR, queixas ao MAE, conferência do governador Vaquina e directores provinciais como uma “máquina de desastabilização” à candidatura de Daviz.

A estratégia não costuma ser a mesma para todos, pois que ela depende dos níveis de organizacão e os objectivos dos adversários. Por isso concordo definitivamente que Raúl Domingos não é o mesmo que Daviz Simango, nem PDD é o mesmo que o novo partido em formacão, tanto no olhar da Frelimo como no da Renamo. A campanha da Beira é a melhor prova. Contudo, não deixaria de concordar com o SerHuo que é difícil identificar a desastabilização ao PDD e Domingos.

A outra questão de que acho estares a esclarecer não só a SerHuo, mas a muitos outros, incluindo os que querem aderir ao movimento, entretanto, colocam a a mesma questão como barreira, é sobre VITÓRIA. É sim aspiração de todos os concorrentes em eleições, em ser vencedores, mesmo os com a mínima chance, aquilo que levou ao nosso amigo Jorge Saiete reagir durante a campanha eleitoral para as autárquicas. Porém, se bem que vencer é a meta de cada partido, a derrota não deve ser o fim desse partido. Este foi o grande erro do PDD e de Raul Domingos, por exemplo. Na minha pobre análise, tenho concluido (posso estar errado) que se Domingos e o PDD não se recolhessem às longas férias depois das eleições gerais e presidenciais de 2004, teriam ganho o protagonismo político em Moçambique depois do desvanecer da Renamo e Afonso Dhlakama. Ou os primeiros teriam a ajudado os últimos a manterem ou melhorar o perfil político, porque teriam desde há muito se apercebido da concorrência e logo dos riscos. A terceira alternativa, mas pouco provável devido a teimosia do Führer, teria sido uma reconciliação entre Dhlakama e Domingos.

Na minha opinião, os conceitos vitórias e derrotas precisam de uma definição clara, pelo menos para nós que queremos acompanhar a política de perto. Se um dos objectivos é constituir um partido da oposição credível e alternativo em Moçambique, estarmos de facto decididos para isso e seres actores e não espectadores sempre seremos vencedores no sentido verdadeiro. Na minha, uma vitória verdadeira dum partido que vem de raíz e é muito recente, não é só quando tiver ganho a maioria parlamentar e a Presidência da República, embora essa seja a aspiração de qualquer partido político sério.

Abraco

Reflectindo disse...

Caro SerHuo, só depois de eu ter postado o meu comentário notei que já tinhas reagido ao Jonathan. É bem possível que eu tenha escrito algo que já esclareceste, mas no geral não escrevi para ti mas para todos e para mim mesmo. Apenas aproveitei as tuas chamadas de atencão, para algo que tenha que ser bem claro.

Abraco

Jonathan McCharty disse...

De nada SerHuo e obrigado por apreciar o blog!
Avaliarmos de forma critica os problemas que enfrentamos, e' o primeiro passo essencial para encontrarmos as suas solucoes! Nao e' de forma alguma, um prenuncio de "falta de auto-estima"! Nao e' pelo facto de o PR dizer-nos que "O estado da nacao e' bom", que isso seja necessariamente verdade e que a missao de cada um dos 20milhoes de habitantes desta patria, passe a ser "comprar um megafone e difundir essa mensagem"! Temos que nos questionar se o nivel de criminalidade e (in)seguranca publica, a escassez de alimentos e falta de divisas para importa-los, os nossos alunos da 7a que nao sabem ler, so para citar alguns, permitem que avaliemos o estado da nossa nacao, como "BOM"! O nosso dever de cidadania nos obriga a isso! O conflito de interesses as vezes nos cega ao ponto de nao vermos que todos remamos para o mesmo lado!
Comparar "Deviz" e "Raul Domingos", e' comparar "grandezas" diferentes! Quando falo "grandeza" nao me estou a referir a "tamanho"! Falo de unidades fisico-matematicas! E' como comparar "volume" (m3) e velocidade (m/s)! Enquanto "negociador de paz" Domingos so' foi conhecido apos "aterrar" no pais em 1992. De la para ca', que mais tera' realizado??! "Deviz", atraves dos seus progenitores, ja' traz uma bagagem historica mais acentuada! Ganhou as eleicoes autarquicas e mudou a face da Beira! Foi reconhecido o melhor autarca do pais! Uma vez expulso da Renamo, mostrou que tem cabedal de derrotar as 2 maiores forcas politico-partidarias juntas!! Uma outra coisa que muita gente distraida ainda nao notou (ou finge nao notar) e' que ele a par de Comiche, surgem como exemplos de "boa governacao" e vitimas do "nepotismo e clientelismo" que assola o "status-quo" dos contendores politicos neste pais!! Porque o povo nao se identifica com isso, e quer uma sociedade em que o "bom senso" impere, o partido "do povo", com Deviz a cabeca (e nao com Deviz "proprietario", como sao os outros), ja' esta' a ver uma contestacao "a todo o vapor"! Mais um texto foi publicado no "editorial do noticas" de hoje! Vale a pena ver as "cagufas" que estao la!

Jonathan McCharty disse...

Reflectindo,
Corroboro o que escreveste e que em certa medida, procuro englobar no comentario acima! Penso que deves ter lido o "editorial" do Noticias, que procura reduzir a significancia da "boa governacao" e acha que um partido que tem "historia" e' aquele que participou em algum tipo de guerra! Estes tipos nao devem saber ainda em que epoca e' que estao a viver!!

Reflectindo disse...

Li os tal artigo que precisa de alguém para contrapor. Certamente, uma nova escola política da Frenamo.

Nyabetse, Tatinguwaku disse...

Muito está dito sobre o assunto, mas eu gostaria de acrescentar que eu (e acredito que muitos outros) acho que precisamos de rolle models. É neste contexto que acredito no sr Deviz, pelo seu curto, mas invejável percurso como político neste nosso jovem país.

Poucas palavras e muita acção. Acredito que muitos jovens precisam de alguém que os guie lado a lado, e que os econrage a tomar novos caminhos, para construir o nosso belo país. Isto sem tirar mérito aos que libertaram-no de Portugal.

Jonathan McCharty disse...

Amen Nyabetse,
Amen!

Have a nice weekend!