06 abril 2009

“Massacre de Mongicual” - Ordem de Advogados de Moçambique (OAM) Põe a Boca no Trombone!!

Segundo o site do Imensis, citando a Agência Lusa, a Ordem de Advogados de Moçambique, entanto que organismo colectivo dos nossos homens do Direito, “finalmente” se pronunciou no que concerne à “Responsabilização” do Estado Moçambicano pelas mortes havidas na(s) cadeia(s) de Mongicual!!

Num país onde é notório o esforço cada vez crescente do regime, em “controlar” “tudo” o que seja Associação ou Organização da Sociedade Civil, mormente para que as suas acções e pronunciamentos sejam sempre realizados em “coordinated fashion” e de modo que não alterem a “Ordem Institucional”, torna-se urgente que estas Instituições se comecem a libertar dessas “amarras” (coerced or self-inflicted) e exerçam na íntegra o seu papel cívico, para o bem e consolidação deste Estado de Direito que todos almejamos!!

Como “acção inicial”, julgamos que a Ordem tomou a posição correcta e acreditamos que à breve trecho e, tratando-se de gente abalizada na matéria, esta Organização virá a público indicar, em “termos concretos”, que medidas considera devam ser tomadas pelo Executivo, para que as famílias das vitimas sejam “plenamente ressarcidas”!!

Bem haja, Ordem de Advogados de Moçambique!!

3 comentários:

X!mb!t@nE disse...

Nunca eh tarde, mas nao faria mal nenhum imprimirem certa velocidade na resolucao/propostas de casos do genero!

Jonathan McCharty disse...

Bom Ximbita!

As nossas organizacoes precisam de se libertar! Veja que factos ocorridos a meados de Marco so tiveram "comentarios" no inicio de Abril. Existe ainda muito receio e, aquilo que se poderia tomar como "accoes legitimas" e' primariamente conotada de "afronta"!

Mas e' como dizes: mais vale tarde do que nunca!

Abraco e Feliz dia da Mulher Mocambicana, da qual a "sikate" e' uma digna representante!

Reflectindo disse...

Acho também que a reaccão da ordem dos advogados demorou bastante. Em princípio lá na ordem dos advogados estão filiados cidadãos mocambicanos que em si não devem ser indiferentes à tamanha violacão da Constituicão da República; a seguir mais do que ninguém eles trabalham com as leis, pelo que, sabem logo onde são feridas. Finalmente, concordo plenamente com o Jonathan que as organizacões civis têm que se descolarem donde estão coladas. A continuarem assim, não há necessidade da sua existência.

Entretanto, esperamos ver em que a Ordem dos Advogados avanca, porque imagino eu que ela tenha a possibilidade de assistir os vítimas.