17 outubro 2008

Quando dizemos que a Polícia se encontra completamente “capturada” pelas Redes da máfia, Crime organizado e Corrupção!


Há algum tempo, algures no início do ano, ao passar pelo famoso “Kayum Center” notei que vários carros do último grito ali estacionados não tinham a chapa de matrícula. O que me ocorreu naquela altura era que, dada a extravagância daqueles indivíduos caracterizada pela sistemática aquisição de viaturas topo de gama e que, pese embora as normas de importação de meios circulantes imponham que em 48 horas após sua chegada ao país, os mesmos devam ser conduzidos à “Tiauto” para a sua legalização junto às Alfândegas, aqueles carros de luxo estivessem ali parqueados ainda nesse processo de “legalização”. Fico estupefacto, ao ver a recente notícia acima que, afinal, esses carros circulam assim pelas artérias da capital e que, se algum polícia de trânsito as intersecta, recebem logo de seguida uma chamada repreensiva dos seus “chefes”, ordenando-os a deixar de imediato os “monhés” irem em paz! Nós os Zé-povinho importamos viaturas e temos que ir pagar quase 100% pelos direitos alfandegários e esta gentalha anda impunente sem se preocupar com esses impostos e o cumprimento das leis vigentes neste país, no que concerne às normas de trânsito!

Outra notícia arrepiante é o facto de estar a haver interferências na fiscalização levada a cabo pela empresa Trans African Concessions (TRAC) às viaturas de transporte de carga ao longo da estrada Maputo-Witbank (EN4) e Av. da Namaacha (EN2), conforme publicou o Notícias de ontem. Mesma história: os infractores que em norma deveriam ser apreendidos e multados, só precisam de usar os seus telefones celulares e logo em seguida, os agentes que estão no terreno a manter a ordem, segurança e durabilidade das nossas estradas, são “enxovalhados” pela sua “bofia” e ordenados a deixá-los seguir em paz!

Uma coisa que as pessoas devem prestar atenção é que as estradas são dimensionadas para um determinado período de serviço, que toma em consideção essas limitantes de carga máxima por eixo e a quantidade de tráfego prevista. Se a primeira grande reabilitação de uma estrada nova estava prevista para 20 anos após a sua entrada em funcionamento, nos temos sistematicamente admirado que, volvidos apenas 5 a 10 anos, essas vias rodoviárias uma vez de alta qualidade se encontrem completamente degradadas. Parte fundamental do problema é exactamente o retratado nesta notícia e que, pelos vistos, e de modo a satisfazer as várias redes clientelares e oportunistas que capturaram completamente as instituições que deveriam zelar pela salvaguarda do nosso Estado de Direito (pelo menos vem assim escrito no Artigo 3 da Constituição da República), continua a ser negligenciado desta maneira inconcebível.

Sem muitas delongas, a questão que coloco é a seguinte:

“Não haverá aqui matéria suficiente para ser instaurado um processo crime contra os indivíduos bem identificados e responsáveis por estas tragédias nacionais aqui reportadas”?

6 comentários:

Jorge Saiete disse...

Jonathan meu irmao, nao vou responder a tua questao, contudo, espero que Julio Mutisse que entende das leis passe por aqui e nos deixe o seu palpite. Mas mesmo usando o meu senso comum juridico me parece que ha gato sim.

Agora, o teu ultimo paragrafo 'e deveras interessante. Queria apenas convida-lo a pensar comigo em relacao a qualidade das nossas estradas. em relacao ao material usado e outros elementos indispensaveis para se ter uma estrada de qualidade. Por exemplo a Av. Sebastiao Mabote ( que nos leva a Magoanine-CMC) parecia que a tinham feito com o produto que 'e usada para fazer a nossa bolacha Maria ( compre um pacote de maria e veja). Temos tambem problemas com os construtores e fiscais, nao achas?

Reflectindo disse...

A questão Bachir já se percebia logo com a sua doacão e não menos aquela compra de canetas. Infelizmente, o apoio dos empresários ao partidão não é gratuito, isto porque o partidão acostumou-lhes a dar-lhes todo o poder em troca de pequenas ofertas: Recordo-vos aqui:

http://comunidademocambicana.blogspot.com/search?q=material+de+propaganda

Talvez o povo comecasse a tomar medidas contra isto.

X!mb!t@nE disse...

Sinceramente nao me espanta o desfile de carros top gama num país onde a pobreza é gritante.

Como diz o Mestre, a compra da caneta e, acrescento eu, a presença do dono dos carros na mesa vip do candidato a edil da orquestra com batuque e maçaroca nao podia ser outra coisa que dedão preso...

Jonathan McCharty disse...

Caro Saiete!
Obrigado por descansar as "Hansas" e aparecer aqui. Colocas questoes pertinentes: conforme referi na postagem, "esse e' um dos problemas" principais! Mas ha' outros, como o que citas! E' verdade que ha' muita corrupcao na construcao civil, estando fiscais ou "donos de obras" sistematicamento em conluio com os empreteiros! Mas, mais do que isso, e' a "falta de recursos" ou poucos recursos alocados a esses obras! Para quem nao entende de construcao civil, ver uma "bulldozer" ou escavadora e alguns homens a sua volta, e' significado de "construcao" ou "reabilitacao" das nossas estradas, mas as coisas nao sao bem assim! Nunca ninguem se pergunta porque ha' muitas obras de reabilitacao de estradas na epoca de eleicoes! Os directamente envolvidos (Estado, Empreiteiros, Fiscalizacao) sabem dos "embustes" que ha' por ai! Sabem exactamente dos "resultados insignificantes" das intervencoes ora postas em execucao! So' que isso "enche o olho" do cidadao, alias, habitante! Esse talvez seja o maior problema no nosso sistema de administracao de infraestruturs rodoviarias!

Jonathan McCharty disse...

Reflectindo,
Este e' um caso extremamante serio! Em vez da PGR andar atras do Azagaia ou jornalistas que nos procuram manter informados, esta' aqui materia para encontrar os agentes directamente envolvidos nestes atropelos da lei! Porque receberam umas motas "piratas" e o tipo "comprou" uma caneta do "galo-mor" por um biliao da familia antiga e voltou a oferece-la ao vendedor (so' em Mocambique e' que nao ha' norma etica alguma, e a corrupcao se realiza assim "de mansinho"), entao, esses corruptores se tornam na propria autoridade! Isto e' uma vergonha nacional!

Jonathan McCharty disse...

Este pais esta' uma bancarrota, por isso, continuamos como "iman a ferro" nos ultimos lugares de todo o tipo imaginario de indice de desenvolvimento. Os nossos alicerces de estado de direito nao existem e nada pode funcionar como deve ser!