20 janeiro 2009

Tomando um copito com o “Führer” da Oposição!!

Depois de “incitado” pela "Ximbitane", este é o artigo que deveria redigir para encerrar o ano transacto, não tendo sido possivel por imperativos de agenda. Com os eventos dos últimos dias e porque o “timing” as vezes é muito mais importante do que a acção em si, eis que, Führer da Oposição, temos que conversar! Será ao sabor de uma “xiguinha” e uma cachaça de cajú que, apesar do seu forte odor é compensada, conforme os entendidos na matéria, pelo seu “valor nutritivo”! Por isso Führer, prepare-se para uma longa conversa!

Há um filósofo alemão (“Arthur Schopenhauer”) que disse que basicamente “toda a verdade passa por três estágios: primeiro é ridicularizada, depois é violentamente combatida, antes de ser aceite como um facto irrefutável”. Se isso foi verdade em relação ao choro deste povo em se tornar independente do jugo colonial, não menos verdade foi o seu clamor por uma sociedade em que as liberdades do cidadão, seja de deslocação, de ter a sua propriedade, desenvolver os seus negócios, etc, estivessem asseguradas. Essas liberdades “básicas” são condimento essencial para que, como uma Nação una e indivisível, possamos nos sentar como irmãos e discutir os desafios que enfrentamos!

Este é um país “jovem”, mas que ninguém se iluda: nós temos o tempo a nosso desfavor! A nossa agricultura continua a tragédia que conhecemos, a educação tem sempre “inovações” catastróficas para oferecer, a segurança pública nunca tinha atingido níveis tão assustadores, acima de metade das nossas despesas são suportadas por “terceiros”, só para citar alguns! Alguém tem ideia, onde estes assuntos são debatidos?? Se começaram já a ser debatidos??

Se os nossos actores políticos não estão à altura de discutir estes problemas, propor soluções alternativas, etc, todos nós, como Nação, saimos a perder!!

Volvidos estes 16 anos e fora a gestão em moldes domésticos do seu partido, com o dinheiro dos nossos impostos, o Führer tem memória de alguma vez ter apresentado sei lá um "Blueprint” a propor alternativas para os problemas que esta nação enfrenta??

Muitas nações já tiveram líderes saídos da guerrilha, mas capazes de se regenerarem e se tornarem verdadeiros Estadistas. Não precisamos de ir longe para encontrar exemplos: olhemos para Samora! Um simples enfermeiro que, ciente das suas limitações, soube sempre se rodear pelo que de melhor havia em termos de “expertise” para o auxiliar na sua plataforma governativa! As suas habilidades não se esgotavam por aí e, no dia em que a história deste país for contada na íntegra, saberemos quão visionário foi esse nosso líder! O Führer sabe bem que foi esse nosso líder que iniciou os contactos com o seu movimento armado, com vista à resolução pacífica do conflito, mas sob grande oposição dos seus companheiros que inclusive hoje gozam de estatuto de “arquitectos da paz”! Foi esse líder que, vendo que a Rússia não poderia ser nosso sustentáculo, parceiro único e viável para os interesses desta “Pérola” iniciou contactos com o outro “pólo mundial”, com vista a abertura do país à “Economia de Mercado”! Porém, é importante citar que ele não estava interessado em “arreiar as calças” do país para essas instituições de Bretton Woods! Para não variar, “outros” levaram o “crédito” por essas iniciativas também, como os grandes "reformistas"!

Agora Führer, se tivêssemos que olhar para a sua capacidade de aprendizagem, comparando a sua retórica, eloquência e capacidade discursiva com a desse líder, à quantas é que o sr. acha que andaria? Dez por cento??? De quem é que o sr. se rodeia? Dos Mbararamos, Mazangas, Barbitos, Fararias & companhia?? Para levar este país para que espécie de “beco sem saída”? Acha mesmo que este é um país que quer passar o resto da sua história a ensinar aos seus novos líderes que “alface” é uma hortícula e não capim?? Quando é que o Führer vai se libertar da sua capa de “comandante da guerrilha” e passar a ser um “político” que entenda de pragmatismo, estratégia, planificação e acima de tudo “intelecto”, para que a discussão dos problemas desta nação deixe de ser “uni-polar”, com os riscos daí advindos do marasmo, comodismo e “Laissez faire” na forma como assuntos capitais para o desenvolvimento são geridos e administrados?

Quando o Führer aparece a ameaçar “nairobizar” o país, a sua preocupação é também de “salvar a democracia” (de cujo “pai-criador” o sr. se auto-intitula), “desenvolver o país” ou pura e simplesmente “assegurar o seu tacho”, como outrora o Salomão Moyana bem descrevera?? Mesmo com a catástrofe das “escolhas múltiplas”, não tenho dúvidas que o pior aluno deste país, iria optar pela terceira alínea!! O Führer, com a mediocridade a que nos habituou, deve até pensar que ao agir assim, está a mostrar a sua “bravura” e “heroicidade”, mas se prestar atenção ao decurso da história da humanidade, a “violência” sempre foi a arma utilizada pelos “impérios”, nos momentos da sua “agonia”: foi assim com a Invasão Britânica ao Canal de Suez e muitos sectores se referem hoje à Invasão Norte-Americana ao Iraque, nos mesmos termos (Petrodollar Warfare é uma boa leitura). A sua atitude é para “nosotros” um sinal inequívoco da “derrocada” em que se encontra o seu partido político, aliada a um déficit assustador de ideias que contrasta seriamente com a fertilidade do “terreno político” que é hoje Moçambique! Não se engane Führer: este povo não está interessado nesse tipo de "empreitada", quando o que está em causa é simplesmente a "barriga" de um indivíduo ocioso! Se reparou, a sua derrota "esmagadora" nas recentes eleições autárquicas, por razões que se prendem unicamente com a sua falta de "tacto político", não mexeu um centavo sequer no preço do chapa (hehe)!!

Quando é que o Führer vai parar e dizer que: “Enough is enough?? Que as linhas do seu certificado de incompetência já estão todas borradas, pelo seu próprio punho?? Quando??”

Quando é que o Führer vai entender que este país não é uma “base alargada”, com 20 milhões de recrutas, prontos a seguir as ordens de um “líder” maníaco, retrógrado e auto-intitulado ditador?? Quando é que o sr. vai perceber que os desafios actuais exigem intelecto, um esforço colectivo e acima de tudo, consensual??

Quando acima de 50% do eleitorado anda com “a ficha desligada” e apenas uma cifra de aproximadamente 30% elegeu o líder actualmente no poder, é preciso ser-se um político “excessivamente medíocre”, para passar quase duas décadas a reclamar de fraudes, a cada pleito eleitoral! (para provar que as suas credenciais de “comandante ou general de 5 estrelas” são também duvidosas, nunca fraude alguma fora sequer detectada antes de ter acontecido!!)

O sr. deve pensar que tem muito tempo, mas depois da sequência de tiros atirados aos próprios pés e das bujardas gratuitas que não se cansa de proferir, o sr. e a sua “carruagem de inconsequentes” estão inequivocamente em queda-livre. Se não sabe, a força de gravidade é uma das coisas que, pode ter a certeza, é infalível! “Está no ar, às soltas? Então cai, mas cai a valer!!”

Aqui neste blog costumamos fazer “Previsões Meteorológicas” e não raras vezes, acertamos: Se o Führer pensa que uma hipotética vitória da oposição só será vitória se o sr. tiver a cara como “cabeça de cartaz”, então escreva o que estou a dizer: “Esse dia nunca vai chegar”!! Falta-lhe a “essência de um político”, aquilo que em gíria desportiva alguns chamam de “canhenhe” (pujança)!

Mas se o sr. quiser, pode ainda ser parte fulcral para a catalização desses eventos! O esforço exigido não seria de mais ninguém senão de si mesmo e obrigaria a uma “reviravolta tsunámica” nas suas hostes partidárias! Aqui, mais do que a acção em si, o “timing” revela-se um elemento crucial:

1) Já que o Führer não se cansa de imitar aos seus oponentes, especialmente em coisas erradas, acerte pelo menos uma vez: fale com os seus amigos “Republicanos” ou seus parceiros “Alemães” e arranje “bolsas de estudo” para a sua “cúpula de generais” (inclua o Mazanga no lote, pelo nível de desacreditação a que chegou) que nada mais fazem senão ser “pedras aguçadas no sapato”! Que não vão lá para estudar “Ciências Politicas” ou ingressar em “Academias Militares”, porque isso não põe comida no prato de ninguém: que estudem Agronomia, Economia, Administração de negócios, Arquitectura, Engenharia, etc e que voltem ao país, com uma ferramenta intelectual para a sua sobrevivência.
2) Convoque um “congresso” e reuna toda a sua família partidária, particularmente aqueles que o Führer sabe que “afastou” apenas porque a sua brilhante performance estava a fazer emergir a sua “mediocridade política”. (Aqui não se pode falar em “ofuscar” porque estamos a tratar de algo que actualmente não há memória de alguma vez ter “reluzido”). O sr. conhece esses indíviduos decor e salteado!
3) Se não quer ainda ser lembrado como alguém que “forçou” à mudanças democráticas nesta “Pérola” e terminou os seus dias num “senta-baixo” a lamentar da sua sina, assuma um papel “honorário” no partido que ajudou a fundar e nomeie um “secretário-geral” que será o indivíduo a concorrer nos pleitos eleitorais para a Presidência da República. A unanimidade neste momento é clara em relação à figura de “Daviz Simango”, não só pelo que já foi capaz de alcançar politicamente, mas pela “essência nacionalista” dos seus progenitores, cujas causas outrora advogadas e que levaram à sua morte, hoje são tomadas como “verdades absolutas”, como bem postulou Arthur Schopenhauer! Esses elementos todos são “armas políticas” de potencial inimaginável!
4) A sua habilidade em proceder a estas reformas que, de facto, são também a sua única tábua de salvação, propiciará a este eleitorado que anda completamente “disenfranchised”, a ter as suas “fichas novamente e automaticamente ligadas” num “click”, especialmente aqueles que têm acesso fácil a informação. Àqueles que se encontram nas zonas recônditas e rurais, que alguns sectores aventam a hipótese de ainda votarem (ou que votavam) em si “porque têm medo da guerra” ou “porque não notam a efectividade da actual governação, na realidade prática das suas vidas e pretendem ver uma coisa diferente”, dê-lhes a conhecer o seu “novo eleito”, fale do sangue nacionalista que corre nas suas veias, tome a dianteira e mostre a capacidade de regeneração e revitalização do seu partido. Assegure que lhe dá todo o seu apoio e que vocês são um partido que percebe que o futuro desta nação, reside na sua juventude (verdade que neste país ainda está no segundo estágio de Schopenhauer) .
5) Führer, chegados a este ponto e dependendo da sua “velocidade de acção”, mesmo ainda neste ano 2009, pode ter a certeza que o país viverá um autêntico “tsunami eleitoral”! Mas se a sua recusa em abdicar da casmurrice for excessivamente dominante, então não se iluda: “the “untergang” is just happening and will get worse to a point of no return, if not there already!!” Não restará então, outra opção àqueles que pretendem discutir e contribuir com o seu intelecto e empenho para a resolução dos problemas desta “Pátria Amada”: a criação de uma “terceira força partidária”, que de facto, já será a “segunda” no dia da sua escritura! O seu partido e a sua “carruagem de inconsequentes” vai desaparecer!!

É isso Führer! A nossa refeição termina aqui! Para sobremesa vou pedir uma maçã “Proudly South African”, mas o Führer deve ter cuidado: alguém me segredou que elas podem fazer mal a indivíduos com cérebro pequeno (‘Bom medir o tamanho do seu antes…!)

18 comentários:

Bayano Valy disse...

caro jonathan,
boas vindas e boas entradas. entraste com o sarcasmo caústico habitual - bom ver isso. vou discordar contigo: o fuher era mais inteligente do que o dhlakama; pode ter sido um psicopata mas era mais inteligente. quando viu que estava derrotado cometeu suicídio ao invés de passar a vergonha de ser mostrado à galeria.
abraços

Jonathan McCharty disse...

Amigo Bayano,
Votos retribuidos de um ano de muito sucesso e progresso! A ideia de usar o termo "Führer", foi essencialmente pelo seu significado de "Lider"! Agora, se as atitudes maquiavelicas se assemelham com as do "outro", .......

Reflectindo disse...

Oi Jonathan

Apenas para dizer oi. Voltarei ao assunto, mas eu gostaria de ter certeza que pelo menos os ajudantes do campo do Führer lêem este texto.

X!mb!t@nE disse...

Jonathan, a xiguninhada deve ter caido que nem uma pedra no estomago do "Fuhrer" e ainda com essa proposta de bebida, hahahahahaha.

Gostei imenso dessa proposta de "honorario", talvez seja a unica saida honrosa para o "Fuhrer", se nao quiser imitar o "Fuhrer" original. Ainda assim acredito que nenhuma Eva Bauhn o querera seguir, Mazangas e Mbaramos incluidos.

X!mb!t@nE disse...

Ops, um regresso em grande! Sucessos para este ano

Jonathan McCharty disse...

Hehe Reflectindo!
Ninguem melhor que tu para encontrar os ajudantes de campo do Führer!! Volte sempre que puder!
Abraco

Jonathan McCharty disse...

Alo Ximbi,
Alguem tinha que por os iis nos pontos do Führer! Ele e' militar de carreira: a minha proposta de refeicao devera' cair-lhe como um "caviar com um Pouilly-Fuissé"!
Votos retribuidos de um ano repleto de sucesso (e que edifiques a tua moradia, hehe)

Jorge Saiete disse...

Jonathan, com um prato de Xiguinha e esse, sempre bom, aguardente de Caju, duvido que tenha restado atenção da parte do teu interlocutor para acompanhar o papo. Pior porque ele sempre gostou de tachos, alias é isso mesmo que o mantem colado na cadeira de "obama de Moçambique, como já se intitula" hehehe.

Reflectindo disse...

Hehehe Jonathan, assumi o desafio.

Jorge, essa auto-intitulacão de "Obama de Moçambique" já me mata de rir desde a ouvi. Que o termo "Obamania" viria-se abusar sobretudo em África, não tardou. Mas se quisermos aplicar esse termo no contexto moçambicano, será que Dhlakama não sabe a quem merece chamar de Obama de Moçambique? O que Dhlakama deve querer ao forjar o termo? Tentar travar o ver vento com as mãos? Apenas reflexões, meu irmão.

Anônimo disse...

Muito bem escrito!
Mas dlakama va acabar mal como os outros que teimaram até ao fim

Essas propostas ja lhe foram feitas, ele nao ouve.
é ainda um general de 5 estrelas ma colocadas...
Nao sera nunca um plitico1 ja o demonstrou
Gostei de ler.
kanivete

Anônimo disse...

Muito bem escrito!
Mas dlakama va acabar mal como os outros que teimaram até ao fim

Essas propostas ja lhe foram feitas, ele nao ouve.
é ainda um general de 5 estrelas ma colocadas...
Nao sera nunca um plitico1 ja o demonstrou
Gostei de ler.
kanivete

Jonathan McCharty disse...

Alo Saiete,
O meu interlocutor e' um caso serio, hehe! Mas ou ele poe "ouvidos" nessa parede de betao a que nos habituou ser, ou entao vai continuar nessa "downfall" que so' ele insiste em nao notar que esta' em progresso! Essa de "Obama de Mocambique" nao conhecia! Mas em que contexto em que poderia fazer alguma "comparacao"?? (se de alguma forma isso e' possivel).
Abraco e bom weekend!

Jonathan McCharty disse...

Reflectindo!

Thanks por assumir o desafio e passar a palavra!
Realmente a analogia que o homemzinho esta' a pretender fazer, e' o mesmo que "comparar vinho a agua"! Descabida no seu todo! Um abraco!

Jonathan McCharty disse...

Alo Kanivete!
Obrigado por ca' aparecer e particularmente por nao ter tido as suas expectativas defraudadas em relacao ao artigo que acaba de ler!
Um abraco, bom weekend e volte sempre!

Chacate Joaquim disse...

Jonathan Mccharty, só voce para nos dar esta sobre mesa ao fuhrer! infelizmente eles andam pouco por estas paragens se não seria mesmo uma boa reflexão.

Lamento o facto de depois de tanto tempo de luta se contentar com tão pouco quanto ser chamado lider da oposição inconsequente, incoerente, "infantil" etc... Feliz 2009 mano. abraços

Jonathan McCharty disse...

Chacate! Um prospero ano para si tambem! Independentemente de "quem de direito" aparecer ca' na blogsfera, este debate e' fundamental para a construcao da sociedade e cidadania adulta que todos aspiramos!
Um abraco!

Anônimo disse...

Genial fill someone in on and this fill someone in on helped me alot in my college assignement. Thank you as your information.

Jonathan McCharty disse...

You dont need to thank me, my friend! You're always welcome!!

Cheers